Sou caso irrecuperável… – Por: Valacir M. Gonçalves

É tempo de receber e retribuir votos de felicidade, mas fiquei preocupado no fim de semana. Digo isso depois de olhar os indefectíveis “guias para viver melhor em 2020” que chegaram até mim. No final das leituras tentei separar o que preciso mudar no próximo ano para me tornar um ser melhor, querido e bonzinho… Um cara que consiga receber críticas na boa, iguais àqueles que conseguem ouvir com paciência todo tipo de gente, até petistas e flamenguistas intragáveis. Não consegui, descobri que sou terrível, parei na metade da lista suando frio e descrente de mim…

As listas dizem que tenho que fazer o bem para estranhos, que não custa ser um anjo na vida deles… Que preciso agradecer sempre, que o agradecimento é uma das virtudes mais ricas e puras que existem. Que preciso digitar menos e ouvir mais, pois é melhor interagir mais com quem está à minha volta do que com quem está a quilômetros de distância… Que preciso saber receber críticas, que pode ser algo construtivo que me ajude a melhorar… Que preciso aprender a me perdoar por mais filhos da puta que tenham sido comigo… Que preciso aprender a lidar com meus defeitos, pois só eu tenho tanta intimidade com eles… Que preciso aprender a economizar sem sofrer, que o ato de economizar precisa ser incorporado ao dia a dia, não pode ser sofrido…

A lista é extensa: preciso organizar meu armário, desapegar das coisas que não preciso, mas que são amadas por mim. Preciso simplificar minha vida, não preciso de tantos cartões, de gostar de carro novo e passear em Buenos Aires no inverno, e principalmente, preciso viver o hoje, pois o amanhã está ficando cada vez mais escasso…

Concluindo, digo que não vou fazer porra nenhuma dessas coisas, ou quase nenhuma… Fiquei acordado até tarde, só consegui dormir quando “meautoconvenci” de que sou caso perdido. Embora existam controvérsias, levei dezenas de anos para ficar do jeito “maravilhoso” que hoje sou, não vai ser uma lista de fim de ano que vai me tornar querido padrão Face e Instagram…

Não posso fazer isso, “milhares” de amigos não vão me reconhecer.. Tenho medo que minha mulher não me reconheça também, vai achar que morri e estou voltando no corpo da madre Tereza, ou do Gugu Liberato… Acho que até meus cachorros, Diego e Robinho (no Paraíso), nunca mais latirão pra mim.

Feliz Natal pra todos, um abraço do Vala de sempre…

Amém!

e-mail vala1@uol.com.br

blog www.valacir.com

Temas .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página