SINPEF/RS apoia manifestação dos policiais civis e agentes penitenciários do Estado

O SINPEF/RS – através do seu Vice-Presidente, Julio Cesar Santos, e da sua Secretária Geral, Nádia Gedoz – prestou solidariedade às demandas dos policiais civis e dos agentes penitenciários do Estado, que promoveram, na sexta-feira, dia 29.09, o Ato Unificado dos Servidores Públicos. A concentração iniciou em frente da Secretaria da Segurança Pública do Estado, de onde os manifestantes saíram em caminhada, passando pela Secretaria da Fazenda e o Largo Glênio Peres, local em que se encontraram com as outras categorias de servidores públicos estaduais, seguindo até o Palácio Piratini.

Os policiais civis e os servidores da SUSEPE protestavam contra o desmonte da segurança pública promovido pelo governo Sartori/PMDB, em especial  contra os 22 parcelamentos de salários desde o início desse governo.

Do carro de som, a caminhada da Segurança Pública foi conduzida pelos dirigentes sindicais, que afirmaram a importância da unidade dos servidores, em especial nesse momento de caos na Segurança Pública. O presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, afirmou que o governo Sartori está “destruindo o Estado”. “Já atingimos a marca de 7.133 homicídios neste governo do PMDB. Somente a nossa mobilização impedirá esse governo de destruir a Segurança Pública gaúcha e não podemos aceitar essa situação, sem salários, sem promoções e sem aposentadoria”, concluiu Ortiz.

O Vice-Presidente do SINPEF/RS, Julio Cesar Santos, enfatizou que o sucateamento da Segurança Pública também não é diferente na esfera federal: “Chegamos ao fundo do poço, e o Governo Federal também está ameaçando direitos imprescindíveis dos servidores públicos, acenando com um pacote de medidas que incluem o congelamento de salários, o cancelamento das parcelas vindouras já garantidas em Lei, o aumento da alíquota previdenciária, o achatamento do piso salarial, a piora nas condições de trabalho e o contingenciamento de verbas destinadas às Instituições Policiais”.

 

 

Temas , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página