Semana de Combate ao Uso de Drogas: GPRED/RS aposta no esclarecimento como principal forma de prevenção

Nesta segunda-feira, 22 de junho, inicia a Semana Nacional de Prevenção e Enfrentamento às Drogas, que culmina com o Dia Internacional de Combate às Drogas, em 26 de junho, oportunidade em que o SINPEF/RS faz uma homenagem aos servidores da PF que dedicam-se, entre outras atribuições, à prevenção ao uso e à repressão ao tráfico ilícito de drogas, numa árdua e incessante missão de enfrentamento à complexidade de problemas associados às drogas ilegais tão impactantes na segurança pública como um todo.

Para tratar desse tema, e através dele homenagear a todos os policiais federais, o Sindicato entrevista o Agente de Polícia Federal José Getúlio POMPÊU Monteiro que, desde 2012, é Coordenador Estadual do Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas – GPRED/RS.

O GPRED/RS é responsável por organizar as ações de prevenção da Polícia Federal no Estado, através da participação em palestras em diversos locais em vários municípios, seminários nacionais e internacionais. Também representa a Instituição em grandes feiras e exposições como a FEISMA, em Santa Maria, a Oktoberfest, em Santa Cruz, a Festa da Uva, em Caxias do Sul, e Expofeira, no Chuí, além dos eventos permanentes e anuais como a Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, do Governo Federal.

O APF POMPÊU também sempre foi colaborador do SINPEF/RS, tendo sido Representante Sindical em Santa Maria por várias gestões, a quem agradecemos e parabenizamos por esse nobre trabalho de prevenção ao uso de drogas na PF.

GPRED/RS vai às escolas

SINPEF/RSQual sua trajetória na Polícia Federal e o que o levou a desenvolver trabalhos junto ao GPRED?

 APF POMPÊU– Eu ingressei na Polícia Federal em 1984, assumindo em Foz do Iguaçu/PR, onde iniciei a Faculdade de Administração. Nessa descentralizada fui Chefe do Setor Operacional por dois anos. Em 1985, fui transferido para Florianópolis/SC, onde permaneci até 1996 e participei de Operações do Garimpo de Ouro, no Pará, e de Proteção aos Índios, em Roraima.

No ano de 1996, fui transferido para Santa Maria/RS onde estou lotado até os dias atuais. Nessa cidade, me matriculei em Ciência da Computação e Geografia para garantir a vaga e chegar ao curso de Direito. Participei de atividades na Polícia Federal em várias operações regionais (controle de migração de turistas no RS), nacionais (Amazônia, Nordeste, Olimpíadas no RJ, Parque Nacional do Iguaçu, entre outras) e internacionais. A visita do Papa João Paulo II é uma das que gosto de ressaltar, pois trabalhei em sua proteção direta, em conjunto com a Segurança Papal de Roma.

Naquele município, comecei a me envolver na área social onde vislumbrei uma saída mais lógica para o problema dos jovens frente às drogas, e, a partir dessa experiência, resolvi participar do grupo de palestrantes pioneiro na PF. Entre outras iniciativas, trouxe para Santa Maria o convênio da Escola da Inteligência do Dr. Augusto Cury com a Escola Estadual Santa Marta, através de um convênio firmado com a Academia Nacional de Polícia – ANP, quando Dr. Augusto Cury disponibilizou cinco escolas no Brasil a serem contempladas. Há quatro anos participo do COMEN – Conselho Municipal de Entorpecentes, como vice-presidente.  Nessa função, participo da realização da Conferência Regional de Políticas Sobre Drogas, em Santa Maria, e da equipe do Fórum Permanente de Prevenção, além da organização das Semanas de Prevenção ao Uso de Álcool por Crianças e Adolescentes.

 

SINPEF/RS – Como você avalia o papel do DPF na repressão e prevenção ao uso de drogas e o que mudou ao longo de sua trajetória profissional?

APF POMPÊU– Ao longo dos anos, a PF vem sendo atuante da área da repressão de forma contínua e eficiente, porém com resultados exíguos. Assim, acompanhando as políticas mundiais sobre drogas, o Brasil mudou sua forma de agir perante esse problema global e começou a investir na PREVENÇÃO. A PF, como uma Instituição permanente e de Estado, começou a vislumbrar atividades preventivas e iniciou trabalhos voluntários, espalhados pelo Brasil, e os policiais federais, além de sua carga normal operacional e administrativa, começaram a contribuir para amenizar as agruras da sociedade, com relação aos jovens e às drogas. Em 2018, através da Instrução Normativa N° 123-DG/PF, de 8 de maio, do Diretor Geral institucionalizou-se o GPRED – Grupo de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas. Ressalta-se, porém, que o GPRED funciona no Rio Grande do Sul desde 1998. Portanto, hoje a PREVENÇÃO é atividade fim na PF, prevista na Constituição, com estrutura nacional e atividades incluídas nas ações anuais.

GPRED/RS marca presença em grandes eventos

SINPEF/RS – Como é desenvolvido o trabalho do GPRED? Quais as principais finalidades e importância?

 APF POMPÊU – O Grupo de Prevenção começou com atividades exclusivas de palestras únicas em escolas, passando a atender, em momento posterior, instituições municipais, estaduais e federais (guarda municipal, quartéis, etc.).Hoje, com a nova política de atividades administradas pela CGPRE,  desenvolve as atividades de forma contínua, colocando de 8 a 10 inserções, aproximadamente, nas escolas interessadas em fazer um trabalho de prevenção continuado.

A intenção do GPRED está voltada ao público jovem, colocando-o ciente das responsabilidades que assumirão no decorrer de suas vidas profissionais, assim como o compromisso moral com sua família e sociedade. E aos demais profissionais, a responsabilidade de estarem em cargos e funções de decisões, que influenciarão nos futuros trabalhadores.

Vejo com muita responsabilidade os trabalhos executados pelos profissionais “gpredianos”, pois influenciarão de forma contundente o público alvo na forma que explana os cuidados com as drogas e, por representarem a Instituição PF neste momento de muita admiração pelo povo brasileiro e respeitada em outros países.

Além dos trabalhos de conversas sobre prevenção, o GPRED tem representado a PF nos grandes eventos no RS, como a FEISMA, Oktoberfest e Festa da Uva, mostrando ao público a competência, como entrar na Polícia Federal, trabalhos realizados e outros assuntos afins, com o apoio do CANIL, GPI, GBE e delegacias locais.

GPRED/RS recebe apoio do GBE e do Canil

SINPEF/RS – Quais as iniciativas do GPRED e qual o alcance/resultado dessas iniciativas?

 APF POMPÊU – Em complemento às palestras realizadas em salas de aula, o GPRED vai a campo buscando suprir outras necessidades da comunidade escolar e famílias em situações de risco, com relação às drogas. Através de campanhas de solidariedade, como doações de alimentos, brinquedos e material escolar, impressão ou alguns materiais em escassez, limpeza de terreno em escolas que estão no programa de atendimento do Grupo, transporte de alunos para os eventos previamente organizados, acompanhamento dos psicólogos e assistentes sociais no evento INSPIRA (atenção aos filhos de detentas). As perspectivas dessas atividades e seus resultados aproximam a PF da comunidade local, trazendo-a para a realidade do trabalho árduo de nossa instituição, em busca de uma sociedade melhor.

GPRED/RS participa de seminário com a Polícia Civil RS

SINPEF/RS – Neste ano, como será o trabalho a ser desenvolvido na Semana de Combate ao Uso de Drogas?

APF POMPÊU – Esta Semana, de 22 a 26 de junho, é considerada um momento para que sejam concentradas ações relativas as drogas.  Criada por um Decreto de 28 de maio de 1999, culmina com alusão ao dia 26 de junho, considerado o Dia Internacional de Combate às Drogas, durante a qual na PF serão registradas atividades de Prevenção e Repressão. Quanto à Prevenção, faremos lives, reunião com médico especializado na área de entorpecentes, arrecadação de materiais escolares, reunião online com escolas previamente definidas, distribuição de máscaras para várias turmas, entre tantas outras atividades. A pandemia do coronavírus fez o GPRED diminuir suas ações, não parar.

Xerifinho, mascote símbolo do GPRED/RS, brinca com as crianças

SINPEF/RS – Que mensagem você passaria aos pais e aos jovens sobre o uso de drogas?

APF POMPÊU: Aos pais, falamos frequentemente para se atualizarem sobre o assunto drogas. Estamos em outros tempos e é preciso que entendam que a educação de seus filhos são sua responsabilidade; ao professor, cabe a tarefa de ensinar, embora sejamos levados a crer que a escola resolva tudo. Caso tenham dificuldades, procurem auxílio de profissionais para, com família, encararem a situação e não fugir dela. A conversa é de suma importância.

Aos jovens, explicamos as reais consequências do uso indevido das drogas, cientificamente comprovadas, e debatemos o que eles procuram para seu futuro, para que entendam a responsabilidade que advirão com suas decisões. Queremos que os jovens sejam os verdadeiros responsáveis por essa mudança que tanto buscamos, para a melhoria da sociedade. Não desiludam seus pais com os caminhos terríveis que aparecem com as drogas. Não provoquem o evento antinatural, que é a morte do filho antes dos pais. Tenham a consciência de que serão pais e a eles caberão a difícil missão de preparar seu filho para a sociedade. Tenham fé! Algo maior nos colocou no mundo. A crença em algo maior, que traga esperança, evita a depressão. Toda dificuldade encontrada é para mostrar a capacidade que têm de superar os obstáculos. Joguem para fora toda sua dificuldade. Não guarde para si. Alguém muito próximo pode estar com o mesmo problema e você ajudará a resolver!

Aos colegas ativos e inativos, solicito que busquem os GPREDs, coloquem seus conhecimentos e experiências à disposição das pessoas que necessitam de apoio, daqueles precisam de uma mão amiga. Além de sentirem a satisfação de ajudar famílias em situação de risco, darão sustentação à PF em continuar nesse trabalho preventivo, mostrando quão ecléticos são os policiais federais.

 

SINPEF/RS – Como as escolas podem solicitar para a Polícia Federal palestras sobre prevenção de drogas?

APF POMPÊU – Cada delegacia da PF tem um representante do GPRED. Ao solicitar uma participação do Grupo, envie um ofício ao Chefe da Delegacia. Encontrando dificuldades ligue 055 999717480 e fale com o Coordenador Estadual Agente Federal Pompêu ou mande e-mail para gpred.sma.rs@dpf.gov.br.

Temas , , , , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página