Saudade daquela coxinha…- Por: Valacir M. Gonçalves

Nesta semana quando precisei comprar uma passagem aérea pro norte do país, percebi que o sonho acabou… Os “petralhas” diziam que seus adversários não queriam que pobres viajassem de avião, que eles ficavam incomodados com a presença deles nos aeroportos. Não sei se tinham razão, mas a cobrança impiedosa de bagagens aliada ao preço exorbitante das passagens fizeram-me perceber que os aeroportos estão começando a perder aquele jeito de rodoviária chique…

Não sei o que vai acontecer se os aeroportos ficarem elitizados novamente. Mas se, por alguma necessidade, tiver que utilizar avião, vou sentir falta daqueles caras com mochila tipo container que tiram fotos de tudo. Vou sentir falta (também) das excursões com gente cantando sertanejos da hora, o tempo passava sem a gente perceber. Mas o pior é que agora coxinhas egoístas voltarão a sentar perto de mim tapando os olhos com máscaras avisando que não querem conversa. Certamente não terei mais senhoras bondosas na poltrona vizinha conversando comigo como acontecia no tempo das passagens baratas.

Lembro que eu levantava de madrugada em Porto Alegre pra viajar à distante Macapá. Até São Paulo dava pra aguentar sem lanche, sabia que lá poderia fazer uma boquinha antes de entrar no outro avião. Lembro que, depois de horas de viagem, a fome batia no avião lotado com todo mundo “degustando” barrinha de cereal acompanhada de água sem gás… É inevitável não lembrar a tal senhora. Lembrar que ela abriu generosamente a sacola e me ofereceu uma inesquecível coxinha de galinha com farofa.

Confesso que comi emocionado, rezando para as viagens aéreas não virarem luxo de coxinhas safados que não gostam de pobres como eu viajando de avião…

Amém!

 

e-mail vala1@uol.com.br

blog www.valacir.com

Temas .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página