RS: Policiais federais aprovam a decretação de “estado de greve” em protesto à Reforma da Previdência

Os policiais federais do Rio Grande do Sul, aprovaram, nesta quarta-feira, dia 05.04, em Assembleia Geral Extraordinária, a decretação de um “estado de greve” como forma de protesto contra a PEC 287/2016, que acaba com a Aposentadoria Policial e com a Previdência Pública como um todo.  As Assembleias foram realizadas no saguão da Superintendência da Polícia Federal, em Porto Alegre, e nas Delegacias da PF, no interior do Estado.

Em nota de repúdio à proposta do governo, a Fenapef – Federação Nacional dos Policiais Federais e seus 27 sindicatos dos policiais federais de todo país afirmam que a reforma “representa o desmonte da previdência pública no Brasil, a medida que impõe regras que atentam contra diversos direitos individuais e sociais assegurados pela Constituição Cidadã”.

A Fenapef e os sindicatos fecharam questão quanto ao dispositivo da PEC que exclui da Constituição o artigo que hoje classifica a atividade policial como de risco, a despeito do fato de cerca de 500 policiais morrerem todo ano em decorrência de seu trabalho. Em outras palavras, ao riscar da Constituição a condição de atividade de risco, os policiais cairão na mesma tabela de tempo de contribuição e de idade mínima dos demais trabalhadores, fazendo com que deixem de gozar do direito à aposentadoria, porque muitos morrerão no exercício de seu ofício sem conseguirem se aposentar. Outra repercussão é que os que sobreviverem farão parte no futuro de um contingente envelhecido da Polícia, sem condições adequadas para oferecer segurança à população.

Participaram da Assembleia Geral no saguão da SR/RS, os dirigentes do Sindicato dos Policiais Federais do RS – SINPEF/RS, da Associação dos Delegados do RS – ADPF, da Associação dos Peritos Criminais Federais – APCF/RS e da Sindicato Nacional dos Servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal – SINPECPF.

Temas , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página