Réquiem ao David – Por: Valacir Gonçalves

Que dia triste, morreu David Coimbra. Como jornalista frustrado, lia as crônicas dele imaginando que um dia poderia escrever algo parecido – claro que jamais consegui! O David descrevia a vida fazendo-nos sentir que éramos amigos dele, que vivíamos também histórias que começavam na vila do IAPI, passavam pelos bares, restaurantes e cinemas de Porto Alegre, e terminavam no mundo.

Fiquei “íntimo” de seus amigos de infância. Lembro do time perna de pau do IAPI. Do “Jorge Barnabé”, do “Amilton Cavalo” do “Plisnou” – pseudos craques que exibiam pseudas habilidades no modesto Alim Pedro, estádio vizinho da casa onde viveu Elis Regina. Sem falar nas festas do Clube Gondoleiros animadas pelo Impacto e pelos Discocuecas.

Lembrei de crônicas inesquecíveis. Uma delas: “Pudim de leite condensado”, quando dizia que um amigo dele listou as quatro coisas melhores da vida… Pudim de leite condensado, Gol do Grêmio, O doce sabor da vingança, e finalmente, Mulher. Me identifiquei na hora, mas incluiria o Jazz e mudaria a ordem da preferência. Só o David Coimbra pra me fazer decidir essa dúvida existencial!

Pra encerrar, revivo parte da crônica “O café da tarde”. Diz ele: – O café da tarde é quase um adjetivo, tem significado mais profundo, representa outro tempo. Porque as pessoas tomavam café da tarde. A minha avó que era uma pessoa clássica, lá pelas quatro horas nos chamava para o café da tarde. Ela nos servia pão com manteiga e café com leite. E queijo, e salame. Se chovia, bolinho de chuva, é claro, e então o dia se tornava especial. Por isso sonho acordado e lamento: quem diria que vivemos num mundo sem avós de avental e sem café da tarde!

Fico por aqui, poderia escrever muitas coisas sobre alguém tão especial e único como o David. Preferi lembrar alguns textos. A intelectualidade e o jornalismo ficaram mais pobres. Não teremos novas crônicas, novos livros, mas ficou o legado, ele ficará gravado na memória e no coração de todos que o admiravam!

Amém!

e-mail vala1@uol.com.br

 

Temas , .

 

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página