RS: Polícia Federal regulariza 841 imigrantes em mutirão de atendimento realizado em Porto Alegre

A Polícia Federal regularizou a permanência no Brasil de 841 estrangeiros que aguardavam atendimento para obter a Carteira de Registro Nacional Migratório. O documento possibilita ao imigrante exercer o trabalho de maneira formal, ter acesso à saúde e à educação, além de outros benefícios sociais.

O Superintendente Regional da Polícia Federal Aldronei Rodrigues reforça que o objetivo da ação vai além da prestação do serviço público. “O mutirão é uma tentativa de resgate da cidadania de pessoas que migraram para o Brasil por absoluta necessidade e nós estamos acolhendo aqui como nação amiga e fazendo a nossa parte, nos unindo para atender essas pessoas.”.

A Chefe da Divisão de Registro Migratório da Polícia Federal, Indira Lima Croshere, esteve em Porto Alegre para conhecer o projeto de mutirão de atendimento. “A iniciativa de mutirão para regularização é de extrema relevância para acelerar sua documentação dos imigrantes no país. Ela envolve os parceiros da sociedade civil e da comunidade, além de demonstrar o comprometimento da Polícia Federal com a inserção social e laboral do migrante no Brasil”, destaca Indira.

O mutirão foi realizado de 22 e 26 de novembro e de 29 de novembro a 01 de dezembro, e contou o apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), responsável pela estrutura de atendimento alocada no saguão do Salão de Atos, e da Prefeitura de Porto Alegre, com a presença do Sine Municipal e da Secretaria de Saúde.

A ação foi executada com a parceria das instituições de acolhimento aos imigrantes: Organização Internacional para as Migrações (OIM/ONU), prefeituras de Cachoeirinha, Canoas, Esteio e Santo Antônio da Patrulha, Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR Brasil), Cruz Vermelha, Associação do Voluntariado e da Solidariedade (AVESOL), Associação Beneficente São Carlos – Centro Ítalo Brasileiro de Assistência e Instrução às migrações (CIBAI Migrações), Centro de Atendimento ao Migrante de Caxias do Sul (CAM), Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA), e Aldeias Infantis SOS Brasil.

O Rio Grande do Sul possui cerca de 90 mil imigrantes registrados na Polícia Federal, sendo que nos últimos três anos, esse fluxo é representando por haitianos (30%), uruguaios (25%), e venezuelanos (19%). No ano de 2021 já foram emitidas pela Polícia Federal no Rio Grande do Sul mais de 17 mil carteiras de identificação para os imigrantes.

O SINPEF/RS prestou apoio ao evento, através do fornecimento de 800 lanches (sanduíches e sucos) aos imigrantes e do auxílio na alimentação aos servidores: “Parabenizamos a iniciativa, em especial o empenho e dedicação dos envolvidos!”, destaca o presidente do SINPEF/RS, Julio Cesar Santos.

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Sul com  SINPEF/RS


Temas , , .

 

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página