NOTA DE APOIO

O Sindicato dos Policiais Federais do RS – SINPEF/RS manifesta seu apoio às declarações do Diretor Jurídico da Fenapef e presidente do SINPOL/DF, Flávio Werneck, atacado incisiva e injustamente em nota divulgada pela Associação dos Delegados Federais, sobre suas declarações ao site do CONJUR acerca do teor do decreto de regulamentação do Estatuto do Desarmamento, que normatiza a posse de armas no Brasil.

Interpretarmos que na entrevista não houve ofensa a nenhum dos cargos policiais federais (https://www.conjur.com.br/2019-jan-15/comunidade-juridica-diverge-quanto-eficacia-decreto-armas). Houve, sim, a preocupação do policial quanto à imagem da instituição e daqueles que possuem a atribuição de analisar as justificativas da efetiva necessidade para a aquisição de arma de fogo. Seu verdadeiro propósito foi enaltecer a relevância do afastamento de qualquer subjetividade que muito ensejava inconformismo e questionamentos por parte dos requerentes.

Ao ler a matéria, verifica-se claramente que não houve insinuações sobre a existência de corrupção ou influência pessoal no deferimento da posse de armas, mas que a possibilidade dessas práticas poderiam ser diminuídas com a padronização de procedimentos, através da adoção de critérios legais claros e desburocratizados. Isenta-se, assim, o servidor policial federal do peso de uma decisão sem embasamentos objetivos, o que veio a ser corroborado através do decreto presidencial.

De forma inoportuna e ferindo a honra pessoal do servidor, a mesma nota da ADPF cita também um processo administrativo sofrido por Werneck, em decorrência de declarações prestadas à Revista Veja, o que em nada acrescenta ao debate, não apenas pelo fato do referido processo ter sido arquivado pelo Ministério Público, mas principalmente por diminuir o nível da discussão sobre tema de grande relevância para sociedade.

 

Porto Alegre, 25 de janeiro de 2019.

 

Julio Cesar Nunes dos Santos

Presidente do Sindicato dos Policiais Federais do RS

Temas , , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página