No Brasil, o melhor lugar para viver é a prisão – Por: Valacir M. Gonçalves

Visitando um cemitério em Porto Alegre chamou minha atenção o túmulo do líder positivista Júlio de Castilhos, morto em 1903, que governou o estado do Rio Grande do Sul de 1893 a 1897. Ele tem em seu topo uma pirâmide acrescida de uma águia com a inscrição “Os vivos são sempre e cada vez mais governados pelos mortos”. A frase me impressionou. Como os mortos podem governar os vivos? Como eles podem controlar a vida daqueles que os sepultaram? Usando uma analogia alguém me explicou que isso é possível, que em nosso país existe algo parecido: os presos estão cada vez mandando mais nos cidadãos livres, interferindo na vida daqueles que os prenderam.

Não sei se é verdade, mas as notícias se repetem: um preso é candidato a cargo eletivo e visitado por senadores. Outros, comandam o tráfico de drogas, ordenam assaltos e assassinatos, mandam queimar ônibus e afrontam autoridades. Quando me dou conta desse absurdo tenho a tentação de sugerir algo insólito: vamos encarcerar a população respeitadora das leis e soltar os presos… Se for verdade que eles escolhem quem vai ser atacado, qual o ônibus que vai ser queimado ou qual o policial que eles vão deixar vivo é melhor estar preso, pois parece que só assim alguém estará seguro…

“Preso” com celular seria colocado na solitária. Não visitaria a família no “Dia dos Pais”, no “Dia das Mães”, no “Dia do Saci Pererê”, no “Dia do Coelhinho da Páscoa”, muito menos no dia do papai Noel, por uma singela razão: com poucas exceções, familiares de gente de bem estariam presos também… Advogados e mulheres de presos levarem armas e drogas para presos seria impensável, pois o tipo de “preso” que estaria nas penitenciárias não precisaria desse tipo de mercadoria.

Como sei que será difícil a aceitação da minha ideia só me resta protestar, só resta dizer que não é mais aceitável que presos continuem com tanto poder. Volto ao positivismo. Eles dizem que “os vivos são sempre e cada vez mais governados pelos mortos” quando lembram exemplos de figuras que passavam para gerações futuras comportamentos exemplares, bem diferente dos tristes tempos que vivemos, quando os presos cada vez mais influenciam a vida dos cidadãos.

Só me resta dizer que não podemos continuar sendo aterrorizados. Esse pesadelo precisa ter fim. Bandidos famosos e bandidos comuns precisam ser tratados como presos. Nosso país tem cura, me recuso a acreditar que continuaremos a ser controlados por presos que desafiam a tudo e a todos. Não podemos deixar para as novas gerações essa triste herança com bandidos presos controlando a vida de cidadãos livres.

Amém!

e-mail vala1@uol.com.br

blog www.valacir.com

Temas .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página