Entidades representativas e parlamentares tentam consenso sobre a investigação criminal no novo CPP

Nessa quinta-feira (7), representantes das forças de segurança participaram de reunião do GT que analisa o texto do relator, Delegado João Campos (Republicanos-GO). Além do presidente Boudens, participaram das discussões, pela Fenapef, os diretores parlamentar, Marcus Firme, e jurídico, Flávio Werneck.

Apesar das divergências, debates acalorados e posições antagônicas, os participantes consideram que ainda é possível buscar a convergência para um texto que chegue ao melhor resultado possível sobre a metodologia investigativa a ser empregada no País.

Esclarecimento

Ainda no início da reunião, o deputado Sanderson fez questão de esclarecer alguns pontos sobre declarações feitas na reunião anterior, realizada na terça-feira (05), quando o relator e o Capitão Augusto (PL-SP) tentaram negar a representatividade do parlamentar gaúcho junto a policiais de diversas corporações.

“Tanto o deputado Sanderson representa os policiais que buscamos seu apoio, inclusive para que a verdade fosse esclarecida: a que não havia consenso sobre o texto apresentado pelo relator e que muitas questões ainda eram controversas, especialmente porque passavam a ideia de corporativismo”, esclareceu Boudens.

“O esclarecimento foi necessário, porque combatemos trechos essencialmente corporativistas e que preservavam as distorções entre os cargos. Mas, com a verdade reposta e com maturidade política conseguimos avançar no que é mais importante”, relatou o presidente da Fenapef.

 

Fonte: Comunicação Fenapef

Temas , , .

 

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página