Entidades de classe representativas dos policiais no RS defendem a garantia da aposentadoria policial

Entidades de classe de Policiais Federais, Policiais Rodoviários Federais e Policiais Civis estiveram reunidos na tarde desta segunda-feira, 21.01, na sede do Sindicato dos Policiais Federais, em Porto Alegre/RS, para discutir acerca da reforma da Previdência, cujo projeto deve ser enviado ao Congresso já no próximo mês. Participaram do encontro os presidentes do SINPEF/RS, do SINPRF/RS, da ASDEP/RS, da UGEIRM e do SINPOL-RS, bem como o deputado federal eleito Ubiratan Sanderson (PSL/RS), que é policial federal.

Na oportunidade, os policiais apresentaram suas preocupações ao deputado federal, assinalando que estão dispostos a ajudar na construção de uma proposta responsável e viável, respeitando as peculiaridades atinentes à atividade policial e com regras de transição justas, de modo a não penalizar aqueles que já estão prestes a se aposentar.

Frisaram que os policiais que ingressaram nas forças a partir de 2013 já não contam com a chamada integralidade e, desde 2006, os aposentados também pagam Previdência. Além disso, em nenhum país do mundo trabalhadores expostos a “risco de morte”, como os policiais, precisam trabalhar até os 65 anos de idade. A expectativa de vida dos policiais brasileiros é de 59 anos, enquanto a da população em geral é de 76 anos. Assim como os militares, policiais não recebem horas extras, adicionais noturno e de periculosidade, não possuem Fundo de Garantia, não podem fazer greve e também estão submetidos ao regime de dedicação exclusiva.

Os policiais foram unânimes em repisar que estão dispostos a colaborar com a questão previdenciária, mas que o ajuste fiscal não passa apenas pela reforma da Previdência, devendo outras medidas serem adotadas como o fim das volumosas e intermináveis renúncias tributárias, o fim da chamada DRU (Desvinculação de Receitas que permite à União retirar 30% das contribuições, gerando um desfalque à Seguridade Social de mais de R$ 120 bilhões ano), além do combate à sonegação crescente que só em 2018 foi superior a R$ 350 bilhões.

Ao final do encontro, o deputado federal Ubiratan Sanderson se comprometeu em construir uma agenda no âmbito do Congresso Nacional e outra junto ao Ministério da Justiça (aos quais a PF e PRF estão subordinadas) para que o projeto de reforma da Previdência seja objeto de discussão qualificada e honesta, ouvindo-se todas as partes interessadas.

Estiveram presentes na reunião o presidente do SINPEF/RS Júlio Cesar Nunes dos Santos, o presidente da UGEIRM-Sindicato Isaac Ortiz, o presidente do SINPOL-RS Emerson Lopes Ayres, o presidente da ASDEP/RS Cleiton Freitas e o diretor do SINPRF/RS Marco de Brito.

Temas , , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página