Diretoria do SINPEF/RS presente no 11º Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

O 11º Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública está sendo realizado de hoje até o dia 19 de julho, em São Paulo (SP), no Centro de Convenções Rebouças.

O evento tem como tema “Reforma e Modernização das Instituições Policiais” e reunirá pesquisadores, representantes da sociedade civil organizada e do setor privado, policiais e membros do sistema de justiça criminal em torno do debate urgente e necessário de modernização da segurança pública e aproximação entre polícia e sociedade.

O SINPEF/RS está representado no Encontro pelo Presidente UBIRATAN ANTUNES SANDERSON, o Diretor Financeiro FREDERICO RHOSSARD DE LEMOS NETO, o Diretor de Estratégia Sindical MARCUS VINÍCIUS AGUILAR MEINE, o Diretor Jurídico DANIEL DO NASCIMENTO TEIXEIRA, o Diretor de Relações do Trabalho FLÁVIO JOSÉ ISOTON e o Diretor Adjunto PABLO HENRIQUE BRITTO ANDRADE.

O evento contará com grupos de trabalho cujos temas abordarão: políticas de redução de homicídios, crime organizado e prisões, violência contra a mulher, relação entre polícia e sociedade e modernização e reformas das instituições policiais. O evento contará ainda com atividades sobre novas tecnologias no combate ao crime, sistemas de informação e inteligência, roubos a instituições financeiras, dentre outros.

São cinco grupos de trabalhos que debatem temas distintos, conforme especificamos a seguir:

GT 1: Redução de Homicídios

A cada 9 minutos uma pessoa foi assassinada no Brasil em 2015, resultando em mais de 58 mil vítimas de homicídio, em sua maioria jovens, negros e do sexo masculino. Os impactos da violência vão muito além da dor e do sofrimento para os que perdem seus entes. Vidas ceifadas prematuramente significam pessoas que deixam de produzir e consumir, a violência inibe investimentos e tem impacto bilionário no sistema de saúde.

Hoje o Brasil gasta mais com as consequências devastadoras da violência do que com políticas públicas para enfrenta-la. O GT Redução de Homicídios tem por objetivo reunir policiais e outros membros do sistema de justiça criminal, especialistas e estudiosos do tema para pensar políticas de prevenção, investigação de homicídios e soluções efetivas na redução da violência letal no país.

GT 2: Prisões e Crime Organizado

O ano de 2017 iniciou-se com mais uma crise na segurança pública na qual a população assistiu atônita a decapitações no sistema prisional de diversos estados, queimas de ônibus nas ruas das grandes cidades e um conflito que parece ir muito além dos muros dos presídios. O GT Prisões e Crime Organizado tem por objetivo discutir os recentes acontecimentos abordando a expansão das facções criminosas pelo país, as disputas e conflitos entre facções, a internacionalizações das redes de comércio de drogas ilícitas, rotas e controle territorial e os modelos de gestão adotados no sistema prisional brasileiro.

GT 3: Violência contra as mulheres

Pesquisa lançada no dia da Mulher pelo FBSP mostrou que 2 em cada 3 brasileiros viram uma mulher sendo agredida no último ano. Violência doméstica, sexual, psicológica, assédio nos espaços públicos e no ambiente de trabalho são apenas alguns dos muitos tipos de violência a que as mulheres brasileiras estão sujeitas. Neste contexto, o atendimento prestado pelas instituições policiais é de suma importância, mas também uma das principais reclamações das que procuram o serviço: 9 em cada 10 queixas da ouvidoria da Central de Atendimento à Mulher relacionam-se ao atendimento prestado pelas Polícias Civil e Militar.

Este GT tem por objetivo debater protocolos de atendimento às mulheres em situação de violência, redes de atendimento e seu funcionamento, e o papel de organizações da sociedade civil e do setor privado na agenda de enfrentamento à violência e aprimoramento dos serviços policiais.

GT 4: Relações entre polícia e sociedade

O Brasil concentra uma das menores taxas de confiança nas polícias da América Latina, dificultando o relacionamento entre polícia e sociedade. Cidadãos insatisfeitos com a polícia relutam em dar queixa de algum crime, não fornecem informações ou cooperam com os policiais e tendem a perceber suas ações como ilegítimas, impactando negativamente na eficiência da atuação policial. As polícias dependem da população para que seu trabalho seja eficiente, e a população precisa de polícias dispostas ao diálogo. Este GT tem por objetivo debater propostas e soluções para resgatar a confiança da população nas instituições policiais, modelos de policiamento que aproximem cidadãos e policiais, participação social na segurança pública, dentre outros, trazendo policiais, especialistas e cidadãos para o debate.

GT 5: Reformas e Modernização da Segurança Pública no Brasil

Os altos indicadores de criminalidade e a baixa eficiência das organizações do sistema de justiça criminal são a evidência de que o modelo de segurança pública brasileiro é anacrônico e incapaz de fornecer respostas que garantam a paz e a cidadania para a população. Diversas são as propostas que existem no debate público de reformas e modernização da área tais como ciclo completo de policiamento, unificação e/ou integração das polícias, desmilitarização das polícias militares, modernização de códigos disciplinares, dentre outras. Este GT tem por objetivo debater com representantes das associações policiais possibilidades de modernização do campo que sejam capazes de oferecer melhores condições de trabalho aos profissionais de segurança pública e gerar mais eficiência na atividade policial.

11º Encontro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública:

 

283 associados do FBSP

1/3 dos associados do Fórum são ou foram dirigentes públicos da área.

45 % policial

55 % civil

9% PF

56% PM

170 palestrantes (11º Encontro)

11 mil citações do FBSP só em 2016

42 citações só na Globo e Globo News

 

 

 

 

Fonte: http://encontro.forumseguranca.org.br/

 

 

 

Temas , .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página