A palavra e o grito – Por: Valacir M. Gonçalves | SINPEF RS
 

A palavra e o grito – Por: Valacir M. Gonçalves

Este é o título de um texto escrito pelo Luis Fernando Veríssimo, ontem. Entre outras coisas, ele diz: “O debate acabou sendo entre a palavra e o grito. A palavra cheia de si dos juízes contra o grito dos protestos das ruas. Os juízes foram enfadonhos, mas meticulosos e didáticos, as ruas foram desorganizadas, desarticuladas e desafinadas. Milhares andando e gritando nas ruas em favor de Lula não tiveram a loquacidade de três juízes nas suas cadeiras macias. As palavras dos juízes abafaram os gritos da rua. Não era nem preciso nem levantar a voz. Foi covardia”.

O texto é público, como cidadão com direitos políticos em dia posso comentá-lo mesmo sem ter a notoriedade do autor. Por isso digo que um intelectual como o Veríssimo poderia ter usado seu festejado talento pra escrever algo mais perto da realidade. Um cara que viveu e estudou nos Estados Unidos na juventude, viu a democracia de perto. Um cara que escreveu crônicas que encantaram gerações poderia ter envelhecido melhor… Tem dó: “Palavra cheia de si dos juízes”? Ele não sabe que juízes, principalmente desembargadores de segundo grau, são brilhantes no seu ofício? Certamente eles sabem que, mais do que as pessoas, a história os julgará.

Diz que “os juízes foram meticulosos e didáticos, mas enfadonhos”. Na próxima vez eles vão ler relatórios em ritmo de samba ou do jazz (que ele tanta aprecia) pra tornar palatável a sentença proferida pelo Sérgio Moro, confirmada e aumentada depois de não se impressionarem com ameaças bradadas por gente sem noção. Continuando diz que “milhares andando e gritando nas ruas não tiveram a loquacidade dos três juízes nas suas cadeiras macias”. Nos próximos julgamentos os juízes farão a leitura das sentenças nas ruas, em pé, e sem nenhum resquício do que ele chama de loquacidade – sussurrando…

Quanto às palavras dos magistrados terem abafado os gritos da rua, foi bom isso ter acontecido. Numa Democracia é assim mesmo, palavras de juízes vencem gritos. Se gritos vencerem palavras, países viram algo que chamam de ditadura – no Brasil o regime democrático continua em vigor, ninguém está acima da lei, por mais que desagrade escritores renomados.

Encerrando, não foi covardia. Ninguém agrediu ninguém. O acusado foi investigado pela Polícia Federal, denunciado pelo Ministério Público e condenado pelo Poder Judiciário, tudo com seu direito de defesa amplamente assegurado.

Chega de demagogia, os bandos que saquearam o país precisam ser punidos. O Brasil precisa ser devolvido ao seu povo.

Amém!

e-mail vala1@uol.com.br

blog www.valacir.com

Temas .

 


Deseja comentar esta notícia? Autentique-se para postar um comentário. Efetue seu login aqui »

Ir para o topo da páginaIr para o topo da página